Concreto bombeado: como melhorar o seu uso?

Concreto bombeado

Concreto bombeado: como melhorar o seu uso?

O concreto bombeado é uma das várias formas de manipulação desse material, sempre com o objetivo de facilitar o processo, economizar tempo, garantir a qualidade, reduzir custos e aumentar a produtividade durante o projeto.

Tecnicamente, consiste em um método de trabalho em que uma bomba de alta potência é responsável por transportar o concreto produzido na betoneira para o local onde deverá ser aplicado – por meio de mastros e tubulações de metal ou sintético –, sem que haja desperdício de tempo ou conteúdo.

É praticamente um consenso que a aplicação do concreto por bombeamento torna a operação mais rápida; dispensa a utilização de uma série de equipamentos, como carros de mão, guinchos, gruas etc.; torna o processo mais fácil de ser executado pelos funcionários. Em alguns projetos, é um método absolutamente indispensável, em função da altura e localização do ponto de aplicação.

É importante ressaltar que a complexidade envolvida nos projetos de construção civil, entre outras coisas, exige uma diversidade de concretos, que, por sua vez, possuem diversos tipos de dosagens e tamanhos de agregados.

Por isso, esse sistema requer um concreto com consistência fluida, planejamento do canteiro de obras e a correta escolha dos diversos tipos de bombas, para que as várias forças que agem durante o seu lançamento possam atuar de maneira eficiente e segura.

Por que usar o concreto bombeado?

Talvez o principal fator responsável por tornar o concreto bombeado indicado para grandes edificações seja a rapidez com que a operação é executada– característica essencial para que um método seja escolhido nos dias atuais, em que o tempo é cada vez mais escasso e medido a peso de ouro.

Como não pode haver intervalos ou interrupções demoradas durante o processo de concretagem, é necessário que o método escolhido seja capaz de aliar a velocidade da operação com a qualidade do resultado esperado.

image6

Velocidade da aplicação é a principal característica desse tipo de concretagem.

Isso sem esquecer que o concreto pronto tem prazo de validade, e qualquer situação inesperada, como a quebra da betoneira durante o seu transporte até o canteiro de obras ou mesmo um congestionamento imprevisto, pode resultar na perda de grandes quantidades do material pronto. Um problema que, obviamente, é minimizado pela concretagem bombeada.

Quais os principais equipamentos para utilizar um concreto bombeado?

1. Betoneira

A betoneira é um imenso equipamento acoplado a um caminhão, cuja função é misturar os componentes do concreto: cimento, água e agregados (areia e pedra britada).

Durante o transporte do material, o mecanismo da betoneira é acionado para que a mistura ocorra durante toda a viagem — do local da encomenda até o canteiro de obras.

Outra coisa importante é que a mistura deverá ocorrer sem interrupções ou intervalos durante todo o trajeto (sempre no mesmo sentido), até que o material chegue ao canteiro, onde, a partir daí, o operador deverá fazer com que a sua rotação se dê no sentido contrário.

image2 (1)

A betoneira tem a função de realizar a mistura do concreto até o local da aplicação.

2. Bomba de concreto

Este é o personagem principal desse método de concretagem. Consiste na alternância de duas espécies de pistões que realizam, de forma independente, os processos de recebimento e expulsão do concreto oriundo da betoneira.

E, para esse fim, existem vários tipos de bombas. E as mais utilizadas são:

Bomba Lança – Mecanismo utilizado no sistema de concreto bombeável e o mais indicado para o início dos trabalhos, até que o local de concretagem atinja alturas impossíveis de serem alcançadas pelos mastros e exijam a substituição por imensas tubulações que transportem o material até o local de descarga.

Trata-se de um mecanismo móvel, onde a bomba é transportada sobre um caminhão, acoplada ao o seu chassi e conectada à betoneira.

Recebe esse nome pelo fato de possuir uma espécie de lança (mastro de distribuição), que é responsável por levar o concreto até o local de aplicação.

image4 (1)

A Bomba Lança é geralmente indicada para o início da concretagem de grandes edificações.

Bomba Estática – Esse tipo não difere muito da bomba lança no que diz respeito à eficiência, à velocidade e ao poder de bombeamento; diferindo apenas nas peças utilizadas e na sua capacidade de atingir alturas inacessíveis a outros tipos de bombas.

Como o próprio nome diz, ela deverá ser transportada para o canteiro de obras, onde permanecerá de forma fixa até que o serviço seja executado.

Além disso, não possui um mastro para distribuição do concreto. Em seu lugar são utilizadas imensas tubulações que a conectam com o local onde será aplicado o concreto.

Bomba de Mangote – Trata-se de um tipo geralmente utilizado em pequenas construções, como o preenchimento de lajes residenciais, vigas, acabamentos, contrapisos, entre outras aplicações semelhantes.

Tem menor potência e rapidez de lançamento, por isso tem um raio de ação limitado, apesar de atender suficientemente as expectativas de pequenos projetos.

Os responsáveis pelo transporte do concreto da betoneira para o local a ser preenchido são os mangotes, que geralmente têm não mais que 3” de diâmetro.

Autobomba – Finalmente, outra variedade muito utilizada em construção civil e que também atende às necessidades de potência, rapidez e custo-benefício.

As autobombas são semelhantes às bombas estáticas, com a diferença de que devem ser acopladas em cima de um caminhão apropriado para esse fim. Portanto, não há necessidade de serem transportadas por meio outro veículo.

3. Tubulações

image3 (1)

As tubulações são a essência das Bombas Estáticas, já que estas não possuem mastros de distribuição.

No sistema de concreto bombeado, as tubulações são conectadas à bomba e têm a função de realizar o transporte do material até o local a ser preenchido.

Geralmente, têm um diâmetro entre 3 e 5 polegadas, e são fabricadas com material sintético (borracha, basicamente) ou metal.

São uma parte essencial das bombas estáticas e das autobombas, já que estas não possuem mastros de distribuição para o lançamento do concreto.

4. Mastro de distribuição

image8

Capazes de se mover num ângulo de 360°, os mastros de distribuição evitam o excesso de tubulações no local de trabalho.

Outro equipamento específico desse tipo de concretagem são os mastros de distribuição, que têm a função principal de aumentar a produtividade e velocidade do processo.

O “Placing Boom”, por exemplo, são mastros hidráulicos capazes de se moverem em um ângulo de 360°, num raio de até 35 m.

Ele possui “braços” que permitem o seu prolongamento à medida que o trabalho atinge os andares superiores, o que pode resultar numa produtividade entre 50 e 60 m³.

Como melhorar o bombeamento de um concreto?

Para obter resultados satisfatórios por meio desse sistema é necessário conjugar três fatores: qualidade do equipamento, qualidade do concreto e qualidade dos profissionais envolvidos no projeto.

De forma objetiva, alguns fatores específicos devem ser observados, como:

1. A consistência do concreto

O método da concretagem bombeável exige, antes de tudo, um concreto com consistência fluida, que será determinante para que haja uma trabalhabilidade (condição de ser manipulado ou transportado) ideal para o bombeamento em grandes alturas.

De acordo com especialistas em engenharia civil, a consistência ou “slump” do concreto deverá aumentar na proporção em que aumentar altura de lançamento.

2. O uso de adições e aditivos

Como vimos, o uso de aditivos minerais e superplastificantes têm a função de, entre outras coisas, tornar o concreto mais fluido, resistente e coeso.

Logo, adições como a Sílica Ativa, por exemplo, são bastante utilizados no concreto bombeado, pois além de conferirem as características citadas, ainda equilibram a reologia do concreto (fator relacionado com a sua possível deformação) e garantem uma maior durabilidade.

3. Cuidado com a retração

A retração ou diminuição do volume do concreto, ocorre de acordo com a altura do local onde deverá ser aplicado.
Apesar de não poder ser evitada, pode, sim, ser mantida sob controle por meio de um cuidado especial com a cura do concreto (métodos utilizados para diminuir a evaporação da água contida no material após a sua aplicação).

4. Altura do bombeamento

A altura em que o concreto deverá ser lançado está diretamente relacionada à sua consistência. Por isso, quanto mais alto for o local para onde deverá ser bombeado, mais fluido deverá ser o seu slump, por meio da diminuição progressiva do diâmetro do agregado graúdo à medida que cresce a altura para o lançamento.

image1 (2)

Maior consistência, fluidez, durabilidade e melhora na reologia do concreto são alguns dos benefícios da sílica ativa.

A importância de planejar um canteiro eficaz

Um canteiro de obras bem organizado, onde já se sabe de antemão em que lugar cada equipamento deverá ser posicionado, é fundamental para a realização de um bom serviço de concretagem.

Para isso, alguns cuidados devem ser observados antes da chegada do material. São eles:

1. Local de estacionamento da bomba

Um cuidado essencial antes de iniciar o processo de bombeamento do concreto é assegurar-se do local onde o caminhão irá ser fixado, além dos outros que porventura estejam por vir.

Isso garante que o concreto manterá sua fluidez durante a aplicação, já que a demora do bombeamento é capaz de alterar sensivelmente a consistência do material.

image5 (1)

Um canteiro de obras organizado evita a perda de tempo e a consequente perda da consistência do concreto.

2. Permissão para o estacionamento do caminhão

Antes de iniciar os trabalhos, é preciso também confirmar se há permissão para circular com esse tipo de equipamento no local onde está o canteiro de obras.

Com a programação dos horários, é possível evitar esse transtorno e, obviamente, não comprometer a qualidade do produto.

3. Verificar horários permitidos para circulação

Para que não haja surpresas, os horários para a circulação de caminhões e para o início e término desse tipo de trabalho devem ser conferidos com antecedência.

O ideal é que seja feito todo um planejamento com os horários ideais para cada passo da operação, inclusive os momentos de pausas para o descanso.

4. Repassar toda a logística

Principalmente quando se trata de grandes operações, que exijam a circulação de uma massa de trabalhadores e equipamentos pesados, é necessário que se revejam todos os locais de acesso, como rotas de fuga e local para o posicionamento da bomba de concreto. Além disso, é importante certificar-se de que a bomba de lança está próxima ao local de aplicação, para minimizar os transtornos com o excesso de tubulação, entre outros problemas.

Quais os cuidados que se deve tomar na hora da execução?

O concreto bombeado exige alguns cuidados durante a execução do serviço, a fim de que o resultado saia a contento. Os principais cuidados são:

1. Verificar o funcionamento da bomba

É muito importante, logo na chegada da bomba, fazer um teste para certificar-se do seu correto funcionamento.

Como forma de promover uma espécie de lubrificação do seu mecanismo interno, é recomendada a introdução de um saco de cimento e água dentro da tubulação com ou sem aditivos lubrificantes que melhoram a fricção do concreto com a tubulação, mas retirar imediatamente essa mistura assim que a tubulação chegue ao local de aplicação.

2. Conferir a quantidade do material

Devido à rapidez com que esse tipo de concretagem é realizado, muitas vezes o volume dos materiais não é devidamente controlado.

No entanto, mesmo durante o processo de lançamento do concreto, é possível fazer essa aferição, levando manualmente o material até a bomba por meio de pequenas caçambas.

3. Manter um bombeamento constante

A utilização do concreto bombeado não permite que haja muitas interrupções durante o processo, pois o resultado será o endurecimento do material dentro da tubulação.

Logo, o recomendado é mantê-la sempre limpa, eliminando o excesso de concreto, desde que isso seja feito de uma só vez, e preferencialmente no início do bombeamento.

4. Observar a comunicação entre a equipe

Principalmente entre o pessoal da parte de cima do local de aplicação e o operador da bomba, deve haver uma comunicação constante, a fim de que este possa saber como está a fluidez do concreto, a sua qualidade, além da hora certa de interromper a subida do material (neste último caso, com pelo menos 1 minuto de antecedência, pois é a diferença entre o desligamento e a interrupção do envio).

5. Limpar a tubulação ao final do processo

Não é nenhum segredo o fato de que a limpeza de um maquinário é responsável direta pelo seu bom funcionamento e manutenção.

E no caso específico das bombas de concreto, essa limpeza geralmente é feita por meio de uma esfera que deve atravessar toda a extensão da tubulação.

Nesse processo, é possível que até 3 m³ de concreto sejam retirados e devidamente reaproveitados em outras aplicações.

image7

A comunicação entre o operador da bomba e o pessoal da aplicação, garante que o concreto seja mantido em condições ideais.

Essas foram as nossas recomendações sobre como melhorar o uso do concreto bombeado. Gostaríamos de conhecer as suas. Então, deixe um comentário logo abaixo e continue acompanhando as nossas publicações sobre o tema.

O que é FCK e o qual sua importância para o concreto?
Concreto auto-adensável: Principais características e aplicações